As investigações tiveram início no mês de outubro de 2020, quando uma mulher de 41 anos, que dizia ser Delegada de Polícia Federal, tentou agredir uma jovem de 23 anos em uma festa localizada em Brazlândia. Após o incidente, a investigada ainda prosseguiu com ameaças à vítima nas redes sociais ostentando armas de fogo e vestimentas com o brasão da PF.

Diligências mostraram que a autora tinha por hábito utilizar de vestimentas próprias da Polícia Federal, passando-se por Delegada, seja em eventos públicos, seja em redes sociais, sem ostentar, contudo, qualquer vínculo funcional com a referida instituição.

A 18ª DP representou perante ao Poder Judiciário por medida cautelar de busca e apreensão nos endereços vinculados à investigada, tendo sido encontrada, no salão de beleza de sua propriedade, uma camiseta com o brasão da Polícia Federal.

A autora irá responder pelo crime de ameaça e pela contravenção penal de se fingir funcionário público.

 

Assessoria de Comunicação/DGPC
#PCDFemAção
PCDF, excelência na investigação