A Polícia Civil do Distrito Federal, por meio da 9ª Delegacia de Polícia, e com o apoio do Departamento de Polícia Circunscricional – DPC, deflagrou a terceira fase da Operação Quinto Preceito e encerrou o trabalho investigativo que foi iniciado em maio deste ano.

Ao longo das investigações, três estufas indoor criadas especificamente para o cultivo de skunk e que abasteciam traficantes de diversos estados da Federação Brasileira foram desativadas no Estado de São Paulo e, nesta ocasião, quatro indivíduos foram presos em flagrante pela prática de crimes previstos na Lei 11.343/2006 e Lei 10.826/2003.

24nov Operação Quinto preceito 2

Com relação à terceira e última fase da operação, foram presos preventivamente dois indivíduos investigados pela prática dos crimes já citados. Um investigado de nacionalidade chinesa foi preso na cidade de São Paulo, região da Consolação. Ele é apontado como um dos sócios de uma das estufas desativadas. Outro homem foi preso na cidade de Santo Antônio do Descoberto/GO, apontado como o responsável pela aquisição das substâncias entorpecentes que eram remetidas do Estado de São Paulo para o Distrito Federal.

No curso das investigações, foram apreendidas cinco armas de fogo, registros de identidade falsos, aproximadamente R$ 120 mil, em espécie, diversos tipos de substâncias entorpecentes e maquinários utilizados para a produção e remessa das substâncias. Foi determinado um bloqueio de R$ 5 milhões pelo TJDFT em desfavor dos investigados. Ao final, 17 investigados foram indiciados pela prática de crimes previstos no Código Penal, Lei 11.343/2006 e Lei 9.613/1998. Todos os investigados já se encontram denunciados pelo MPDFT e apenas um investigado, sócio de uma das estufas, é considerado foragido.

Assessoria de Comunicação/DGPC
#PCDFemAção

PCDF, excelência na investigação