Colaboradores do Hospital de Base são preparados para debelar chamas e salvar vidas

Treinamento foi dividido em atividades teóricas e práticas | Foto: Davidyson Damasceno / Iges-DF

Com o objetivo de prevenir sinistros e preservar vidas, colaboradores do Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (Iges-DF) que atuam no Hospital de Base (HB) participaram, nesta quarta-feira (16), do Treinamento de Brigada Voluntária para aprimorar técnicas de combate a princípios de incêndio e procedimentos de evacuação do prédio. Coordenado pela equipe de brigadistas do próprio hospital, o treinamento foi dividido em atividades teóricas e práticas.

Pela manhã, no Espaço de Ensino da Radiologia, os voluntários aprenderam sobre os tipos de extintores e as formas de uso deles, além de receber recomendações de como proceder em casos de incêndio. À tarde, aulas práticas sobre como combater incêndios com extintor.

“O que mais me chamou a atenção foi a diversidade dos extintores e a utilidade de cada um para determinado tipo de situação. Acredito que todos deveriam fazer o curso para ajudar o Hospital de Base”Laís Roberta Dias, auxiliar administrativa do projeto Humanizar

Para ensinar as técnicas, os brigadistas usaram um tambor em chamas. Os voluntários também percorreram todas as unidades do Hospital de Base para conhecer as rotas de fuga em caso de incêndio.

Os voluntários gostaram do que aprenderam. “O curso me proporcionou conhecer a estrutura física do Hospital de Base e aprender, na prática, a técnica para usar extintores e combate de incêndio. Caso seja necessário, estou pronta apara ajudar”, afirma Isabel Cristina Lima, de 40 anos, enfermeira do Bloco de Procedimentos Especiais do Ambulatório.

Meta para 2021 é oferecer os cursos mensalmente | Foto: Davidyson Damasceno / Iges-DF

Auxiliar administrativa do projeto Humanizar, Laís Roberta Dias, de 26 anos, também aprovou o treinamento. “O que mais me chamou a atenção foi a diversidade dos extintores e a utilidade de cada um para determinado tipo de situação. Acredito que todos deveriam fazer o curso para ajudar o Hospital de Base”, sugere.

Treinamentos

O curso de combate a incêndio está previsto em normas técnicas da Brigada de Incêndio do Corpo de Bombeiros, que estipulam que 10% da população fixa das unidades de saúde sejam treinadas. No ano passado foram treinados 158 colaboradores no Hospital de Base. Neste ano, por causa da pandemia, o curso só pode ser realizado em novembro e dezembro, com a participação de 80 colaboradores.

O Hospital Regional de Santa Maria também oferece o curso. Neste ano foram capacitados 157 colaboradores. A direção do Iges-DF quer levar o mesmo treinamento para outras unidades, e a próxima deverá ser a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia.

A meta para 2021 é oferecer os cursos mensalmente. É o que diz o gerente de Saúde, Segurança e Qualidade de Vida no Trabalho do Iges-DF, Caio Oliveira Martines. “O objetivo é que cada vez mais colaboradores participem da capacitação”, destaca.

Já o bombeiro civil Renato Gomes, responsável pelo treinamento no HB, entende que esforços devem ser feitos para que o curso seja realizado mesmo diante da pandemia, desde que todos os cuidados sejam tomados. “O treinamento é necessário para que as equipes e que os profissionais estejam preparados e saibam, cada um, o que fazer na hora do sinistro”, defende.

Brigadistas do Iges-DF

Os brigadistas são pessoas capacitadas para atuar na prevenção e no combate a princípios de incêndio. Ao todo, 42 brigadistas compõem o quadro do Iges-DF, dos quais 20 atuando no Hospital de Base, 14 no Hospital de Santa Maria e oito na UPA de Ceilândia.

O serviço nas unidades de saúde é terceirizado, sob responsabilidade da empresa City Service.


Com informações do Iges-DF