Reuniões entre técnicos de órgãos dos governos local e federal e com o Ministério Público finalizam o planejamento

Em uma semana movimentada, na iminência de receber o primeiro carregamento de vacinas contra o novo coronavírus Sars-CoV-2, a Secretaria de Saúde (SES) fez reuniões com setores logísticos e estratégicos do GDF, com o Ministério da Saúde e com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) para acertar os últimos detalhes e ajustar as primeiras ações que serão executadas pelo Plano Estratégico e Operacional da Vacinação contra a Covid-19.

Desde o início da última semana, um comitê de acompanhamento do plano de vacinação formado por diversos setores da SES vem se reunindo para detalhar os níveis de ativação que podem ser atingidos a partir do anúncio de quantas doses o DF vai receber. Desse primeiro carregamento, a SES já tem estrutura suficiente para ativar até 90 salas de vacinas e contará com 1,5 mil profissionais em todas as sete Regiões de Saúde.

Na quinta-feira (14), em uma reunião no MPDFT, uma comitiva da pasta, incluindo o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, pôde apresentar e detalhar o plano, com a participação de outras áreas do GDF, como Educação, Segurança Pública e Planejamento. Na ocasião, o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, ressaltou a estrutura da rede de saúde para campanhas de vacinação.

Força de trabalho

“É importante deixar bem claro que, independentemente do quantitativo das vacinas, nós já temos a força de trabalho, a capacidade de resposta para operacionalizá-la, de acordo com a demanda que surgir”, afirma o subsecretário. Ele lembra que a SES está pronta para fazer a distribuição das doses, tão logo sejam entregues, para a central da rede de frio e para sete câmaras situadas nas Regiões de Saúde do DF. A partir daí, o material segue para as salas de vacinação, de acordo com a logística de cada fase.

Na sexta-feira (15), representantes da SES participaram de uma reunião com representantes das demais secretarias estaduais, do Ministério da Justiça e do Ministério da Saúde para definir o planejamento das possíveis datas, locais e horários em que as doses chegarão ao Brasil e, consequentemente, serão distribuídas aos estados.

Existe uma expectativa de que, neste domingo (17), após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar o uso emergencial das vacinas Sinovac e Astrazeneca, o Ministério da Saúde possa divulgar a ordem de distribuição aos estados, finalizando assim o planejamento e dando início à fase de logística de distribuição.

Rede de frio

Assim que recebidas, as vacinas ficarão acondicionadas na Rede de Frio, responsável por operacionalizar toda a logística de distribuição para as regiões e respectivas unidades de saúde. O local possui 95m³ de capacidade de armazenamento, área da qual 14m³ serão exclusivos para condicionar e aclimatar as vacinas contra a Covid-19.

A Rede de Frio Central do DF dispõe de uma câmara frigorífica de 73m³, oito câmaras frias verticais de 420 litros e oito câmaras frias verticais de 2 mil litros. Está em andamento a contratação de mais nove câmaras frias verticais com capacidade de 1,2 mil a 1,7 mil litros. O DF conta ainda com sete redes de frio regionais, instaladas nos hospitais das Regiões de Saúde e na UBS do Núcleo Bandeirante. Juntas, essas redes contam com 40 câmaras frias.

As vacinas chegam primeiramente à Rede de Frio Central e são distribuídas às redes regionais. Na sequência, seguem encaminhadas aos pontos escolhidos para cada fase da vacinação. Todo o traslado será feito por 60 viaturas com cabine dupla.

 Com informações da SES