Arruda já foi condenado a 11 anos de prisão por improbidade administrativa/Arquivo/ Marcelo Camargo/Agência Brasil

Defesa de Arruda havia entrado com dois recursos que foram negados, assim como um recurso do ex-deputado Rôney Nemer.

A 1a. Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou por unanimidade recursos a dois recursos solicitados pelo ex-governador José Roberto Arruda para suspender o andamento de ações por improbidade administrativa naquela Corte. Um outro recurso, desta vez da defesa do ex-deputado federal Rôney Nemer, também foi negada, já que o réu queria anular uma condenação por improbidade administrativa no âmbito das investigações da Operação Caixa de Pandora.

De acordo com informações publicadas pelo G1 DF, em um dos processos que Arruda tentava anular, o ex-governador e outras nove pessoas são acusados de improbidade administrativa, pelo pagamento de propina a deputados distritais, para obter apoio político, entre 2006 e 2009.

Segundo o Ministério Público do DF, autor da ação, houve enriquecimento Ilícito, prejuízo aos cofres públicos e atentado contra princípios da administração pública. A ação corre no Tribunal de Justiça do DF e está em fase de alegações finais, mas foi suspensa temporariamente por conta da pandemia. Com informações do site: Misto Brasília.