A ideia é criar uma rede interna no governo, para a prevenção contra esse tipo de crime, conforme previsto em lei distrital

As aulas estão sendo ministradas presencialmente para 40 cursistas desde segunda-feira, no Auditório a Segov, das 14h às 18h. Além da versão presencial, o curso também estará disponível em Educação a Distância (EaD). | Foto: Divulgação / Escola de Governo

Ouvidores do Governo do Distrito Federal (GDF)  estão realizando nesta semana curso de capacitação sobre Assédio na Administração Pública, em cumprimento ao Decreto 41.536, de dezembro de 2020, que visa combater casos de perseguição e importunação no ambiente de trabalho.

Além do conhecimento adquirido, a ideia é criar uma rede interna no governo, para a prevenção contra esse tipo de crime. Nesse contexto, o curso faz parte do Programa de Prevenção ao Assédio na Administração Pública do Distrito Federal.

A iniciativa é da Escola de Governo do Distrito Federal (Egov), órgão vinculado à Secretaria Executiva de Valorização e Qualidade de Vida (Sequali), da Secretaria de Estado de Economia (Seec)

Desde segunda-feira (8) até sexta-feira (12), os 40 cursistas estão acompanhando as aulas presencialmente, no auditório da Egov, das 14h às 18h. Além da versão presencial, o curso também estará disponível em Educação a Distância (EaD).

“Nossos ouvidores são a porta de entrada por meio da qual a sociedade procura o governo para fazer manifestações e reclamações, e é quando acontece o primeiro filtro”Paulo Martins, Controlador-Geral do DF

“Nossos ouvidores são a porta de entrada por meio da qual a sociedade procura o governo para fazer manifestações e reclamações, e é quando acontece o primeiro filtro”, reforçou o Controlador-Geral do DF, Paulo Martins. “Como já existe um decreto de prevenção ao assédio, queremos que os profissionais que cuidam disso estejam o mais preparados possível”, completou.

Denúncias

O objetivo do curso é apresentar aos servidores públicos conhecimentos que lhes possibilitem atuar e dar encaminhamento às denúncias de assédio, bem como formas de prevenção da prática no ambiente de trabalho.

Durante a capacitação, os cursistas estão recebendo aulas sobre assédio moral, assédio sexual, teletrabalho, comunicação não violenta, mediação de conflitos e processo administrativo disciplinar nos casos de assédio moral e sexual.

Segundo a instrutora do curso, Michelle Gomes Heringer Caldeira, Chefe da Assessoria de Apoio aos Julgamentos da CGDF (Controladoria-Geral do DF), “a ideia é capacitar previamente os ouvidores, para que possam ter mais conhecimentos no tratamento das denúncias de assédio, considerando que serão eles os primeiros a dar os encaminhamentos após receberem as denúncias”.

“Quero transmitir conhecimento sobre o tema, de modo a promover a reflexão sobre o assédio moral e sexual e suas implicações e consequências no âmbito da Administração Pública do Distrito Federal e nas relações interpessoais e organizacionais”, detalhou a instrutora Michelle.

“O propósito é justamente que essa rede possa ampliar ainda mais esse campo de atuação, abrangendo órgãos e empresas públicas, para que criem também seus programas específicos”Ericka Filippelli, secretária da Mulher

Para a secretária da Mulher, Ericka Filippelli, além do programa de prevenção, mais importante é preciso unir forças com todos os órgãos da Administração. “O propósito é justamente que essa rede possa ampliar ainda mais esse campo de atuação, abrangendo órgãos e empresas públicas, para que criem também seus programas específicos”, ressaltou

Impacto

Rafael Gauche, ouvidor da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), comentou que o curso também causou impacto na vida pessoal dele. “Assuntos graves e importantes estão sendo trabalhados de forma leve e clara. O conteúdo é indispensável para minha atuação como ouvidor, pois será totalmente aplicado no tratamento dado às manifestações com as quais trabalho. Além disso, pessoalmente, despertou-me mais empatia e senso de humanidade”, afirmou.

A secretária-executiva de Valorização e Qualidade de Vida da Secretaria de Economia (Seec), Adriana Faria, enfatizou a importância da capacitação sobre o assunto. “O primeiro passo é o conhecimento dos conceitos sobre assédio moral e sexual. A Egov tem papel fundamental nessa tarefa de conscientizar e de ampliar o aprendizado dos ouvidores. Esse curso é um grande pontapé para o início dessa jornada de conhecimento”, afirmou.

Além do curso presencial, a diretora-executiva da Egov, Juliana Tolentino, informou que até março será formado o curso a distância assíncrono. Nessa versão, as aulas podem ser acompanhadas pelo estudante independentemente do horário ou local. Exemplos conhecidos são as videoaulas e webinários.

Com informações da Escola de Governo do Distrito Federal – Egov