Reunião pública está agendada para 4 de maio, no formato virtual e aberta a toda a população

 

O projeto para o Setor Tradicional de Planaltina é uma resposta à estratégia de reforma de conjuntos urbanos prevista no Pdot | Arte: Divulgação/Seduh
Com a ampliação das calçadas, projeto prioriza pedestres e ciclistas

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) promoverá uma audiência pública virtual no dia 4 de maio, a partir das 19h, para debater o projeto do Percurso Turístico e Cultural do Setor Tradicional de Planaltina. O aviso foi publicado na edição desta quarta-feira (31) do Diário Oficial do Distrito Federal  (DODF).

O projeto prioriza o pedestre e o ciclista, com a ampliação das calçadas, e prevê também melhorias na acessibilidade e na arborização urbana, com iluminação pública para os monumentos, mobiliário urbano especial e sinalização turística. Tudo isso será feito em conformidade com as edificações históricas remanescentes.

O objetivo é convocar a população e todos os moradores de Planaltina para discutir a requalificação do espaço público do Setor Tradicional, situado no entorno dos monumentos históricos. Para tanto, o evento será aberto a toda a sociedade e elaborado no formato virtual, em respeito às medidas de segurança impostas durante a pandemia. Os interessados poderão participar pela plataforma Seduh Meeting.

Toda a informação necessária para subsidiar o debate, como o memorial descritivo do projeto, está disponível no site da Seduh. Perguntas, sugestões ou recomendações deverão ser feitas durante a audiência pública, por meio do chat de comentários, no ambiente virtual.

Projeto

O projeto para o Setor Tradicional de Planaltina é uma resposta à estratégia de reforma de conjuntos urbanos prevista no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O percurso turístico e cultural compreende o trecho de entrada da Avenida Goiás até a Praça Coronel Salviano Monteiro, passando pela Rua Salvador Coelho e pela Praça São Sebastião.

“Outras medidas são a implantação de piso diferenciado e a implementação do conceito de traffic calming, ou seja, quebrar a ideia de que as ruas são feitas para os carros e não para pessoas”Anamaria de Aragão, coordenadora de Projetos da Seduh

Na Praça Coronel Salviano Monteiro, a prioridade é recuperar o visual original do espaço em direção à Igreja Matriz, como era no período em que a praça estava dividida em duas pela Avenida Goiás. O desenho do projeto, elaborado para o local na década de 1980, também foi preservado, assim como as melhorias realizadas em 2018.

Prioridade

Além disso, a prioridade para pedestres está sendo proposta com soluções como a do conceito de rua compartilhada, em que o espaço urbano é voltado para pedestres e ciclistas, mas onde veículos motorizados também serão permitidos.

“Outras medidas são a implantação de piso diferenciado e a implementação do conceito de traffic calming, ou seja, quebrar a ideia de que as ruas são feitas para os carros e não para pessoas”, reforça a coordenadora de Projetos da Seduh, Anamaria de Aragão.

Para a Rua Salvador Coelho, que liga as praças Coronel Salviano Monteiro e São Sebastião, a proposta é uma faixa verde em um dos lados da via, que funcionará como guia de balizamento para deficientes visuais. Também há a indicação de faixas de dois metros em concreto armado nas laterais, para limitar visualmente o espaço do carro, pois a rua estará nivelada.

Atualmente utilizada para autoescolas para treinamento de aprendizes, a rua que chega à Igreja São Sebastião será transformada em um grande calçadão. O objetivo é intensificar o visual lateral da igreja com um desenho de piso que coloque o monumento como ponto focal.

Respeito às edificações

Conforme o parecer técnico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) – responsável pelos bens tombados na área, como a Igreja São Sebastião e o Museu Histórico –, o projeto respeita os critérios de ambiência, visibilidade e autenticidade. Considera, ainda, as edificações históricas remanescentes e, consequentemente, a leitura de conjunto.

Ainda de acordo com o parecer da Secec, a inserção de novos elementos, como pavimentação, infraestrutura e mobiliário urbano, “respeita o estilo contemporâneo, de modo a não contrastar drasticamente com os estilos históricos existentes, podendo, ainda, representar releituras desses estilos”.

Turismo

Segundo a coordenadora de Projetos da Seduh, o projeto busca igualmente a dinamização do interesse turístico e econômico da área. Hoje, segundo os dados oficiais da Secretaria de Turismo (Setur), 45% dos visitantes permanecem de dois a três dias em Brasília. Com a iniciativa, o objetivo é estender esse período.

“Almeja-se, como repercussão positiva da implantação do percurso turístico e cultural de Planaltina, aumentar o tempo de permanência do visitante, pois haverá mais um destino turístico de qualidade na cidade”, ressalta Anamaria de Aragão.

Trâmites

Depois da audiência pública, o projeto ainda precisa passar pelo aval do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan). Em seguida, deverá ser aprovado por uma portaria a ser publicada pela Seduh.

Audiência pública

  • Tema: projeto do Percurso Turístico e Cultural do Setor Tradicional de Planaltina.
  • Data e horário: 4/5, às 19h.
  • Acesso por este link  da página da Seduh, disponível no dia da audiência.

Com informações da Seduh