O ministro da Cidadania, João Roma, entregou ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, uma solicitação para incluir as pessoas com autismo no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19. Defensor da bandeira dos direitos dos autistas, Roma foi pessoalmente ao Ministério da Saúde para entregar o pedido a Queiroga. 

"Há um tempo já venho reiterando a necessidade de pessoas com autismo serem incluídas como grupo prioritário na vacinação contra a Covid-19. Eles apresentam muita sensibilidade sensorial, são resistentes ao uso de máscara, e isso é motivo suficiente para que eles se vacinem o quanto antes. Por isso, vim ao Ministério da Saúde oficializar esse pedido ao ministro Marcelo Queiroga para garantir a imunização que é um recurso essencial para essa população", afirmou o ministro da Cidadania.

No ano passado, Roma já havia solicitado a inclusão das pessoas com autismo no grupo prioritário. À época, o ministro atendeu a um pedido da Associação de Amigos dos Autistas da Bahia (AMA-BA), por meio do vice-presidente da instituição, Leonardo Martinez, que também integra o Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Salvador. A AMA-BA solicitou que as pessoas com deficiência fossem incluídos no grupo prioritário.

A defesa dos direitos das pessoas com autismo está na pauta de João Roma desde seu primeiro ano como deputado federal, cargo do qual está licenciado para ocupar o posto de ministro da Cidadania no governo do presidente Jair Bolsonaro. Como deputado, Roma buscou articulação para a construção de uma nova sede da AMA-BA, cujos recursos já estão garantidos.


Além disso, Roma buscou articulação nos órgãos de Justiça para punir os humoristas que fizeram "piadas" contra autistas, o que levou a uma abertura de apuração para investigar os responsáveis. Por este trabalho, Roma chegou a receber uma homenagem em reconhecimento ao seu apoio e dedicação à causa dos portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA) na Bahia.


Prioridade
Recentemente, Roma já havia pedido também ao ministro da Saúde a inclusão no grupo prioritário de profissionais da segurança pública, trabalhadores da assistência social, das lotéricas e fiscais da Caixa Econômica Federal, que trabalham na linha de frente do pagamento do Auxílio Emergencial. O benefício é de responsabilidade do Ministério da Cidadania.
Pela ASCOM do Ministério