Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, está desaparecida — Foto: TV Globo / Reprodução

O corpo de Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, foi encontrado por militares do Corpo de Bombeiros na manhã deste sábado (12), dentro de um córrego no Distrito Federal. A mulher estava desaparecida desde quarta-feira (8), após o triplo homicídio que tirou a vida do marido dela e dos dois filhos (veja mais detalhes abaixo). O suspeito está foragido.

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi identificada pelo irmão. O cadáver estava no córrego da Coruja, localizado na mata entre a BR-070 e a DF-180. Os bombeiros informaram que a mulher estava sem as roupas.

A operação envolveu pelo menos 20 militares da corporação, além de drones e cães farejadores. A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS), da Polícia Civil, prestou apoio às investigações

Irmã da vítima, a agricultora Regina Andrade contou à reportagem que Cleonice “estava desfigurada”.

“PELO MENOS A GENTE ENCONTROU, E AGORA VAMOS ESPERAR A JUSTIÇA DE DEUS.”

Polícia Civil procura homem suspeito de matar família, em Ceilândia, no DF — Foto: Polícia Civil do DF/ Reprodução

Polícia Civil procura homem suspeito de matar família, em Ceilândia, no DF — Foto: Polícia Civil do DF/ Reprodução

Investigação

As investigações apontam que Lázaro Barbosa de Sousa é o principal suspeito de cometer o crime. Ele teria invadido a casa da família com intenção de roubar, mas acabou matando as vítimas após elas reagirem, por volta de 2h do dia 8 de junho.

Cláudio Vidal, de 48 anos, e os dois filhos de Cleonice, Gustavo Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Vidal, de 15 também foram assassinados. Os três foram encontrados com marcas de tiros e facadas.

Ao perceber a tentativa de arrombamento da porta, Cleonice chegou ligar para parentes para pedir ajuda. O irmão dela contou na delegacia que mora próximo da chácara e que chegou cerca de 10 minutos após a ligação, mas o cunhado e sobrinhos já estavam mortos.

Fontes ouvidas pelo G1 afirmam que Lázaro é um “mateiro experiente”, que anda e dorme pelas matas. O suspeito trabalha como carroceiro e, segundo investigadores, anda sempre sozinho.

‘Psicopata e imprevisível’

Fontes ouvidas pelo G1 afirmam que Lázaro é um “mateiro experiente”, que anda e dorme pelas matas. O suspeito trabalha como carroceiro e, segundo investigadores, anda sempre sozinho.

“O comportamento apresentado é de um psicopata”, dizem os policiais . Além disso, Lázaro age de forma “imprevisível”, contam os investigadores..

Esta reportagem está em atualização.

Fonte: G1 DF.