O perito Cássio Rosa explicou que diversas hipóteses devem ser criadas, já que não se trata de um criminoso comum Já são onze dias de buscas...

O perito Cássio Rosa explicou que diversas hipóteses devem ser criadas, já que não se trata de um criminoso comum


Já são onze dias de buscas para encontrar o assassino em série, Lázaro Barbosa, de 32 anos. Conhecido com o “serial killer do DF”, o procurado têm interferido na rotina dos moradores e trabalhadores de chácaras localizadas na região onde a polícia e seus 400 homens tentam capturá-lo, em Girassol (GO). O perito Cássio Rosa explicou que diversas hipóteses devem ser criadas, já que não se trata de um criminoso comum.

Sobre Lázaro manter reféns por onde passa, o perito afirmou que isso pode estar relacionado à sua personalidade. “Porque eu obrigo alguém a fumar maconha? A ficarem peladas? Isso tem relação com o poder, com humilhação, ele gosta disso”, disse Cássio Rosa. Em uma das chácaras invadidas, Lázaro fez os reféns ficarem nus e os obrigou a fumarem maconha com ele.

Ontem um cerco foi montado, mas mais uma vez Lázaro conseguiu despistar os policiais mata a dentro. O perito disse que de bobo ele não tem nada. “É um jogo de gato e rato. Não acho que tenha alguém no comando das ações. A polícia se adequa aos movimentos dele […] estão usando todos os recursos possíveis, mas de ingênuo o Lázaro não tem nada. A polícia também poderia prever os movimentos dele e ter controle das ações”, afirmou o perito.

“Ele sempre está próximo à rios, talvez ele saiba que a água leva todos os odores e os vestígios. Não sei se ele pensa isso, mas não podemos excluir essa possibilidade”, disse Cássio Rosa sobre a capacidade do criminoso de despistar os policiais.

Rituais Místicos

“Dizem que ele carrega um livro místico […] e quem alguém falou que ele estaria possuído. Não dá pra gravar isso, tem que ser investigado”, disse o perito sobre a possibilidade de Lázaro fazer uso de magias e rituais.

O perito afirmou que outras coisas podem servir de motivação para a ação de Lázaro, como a morte do irmão dele, de 18 anos. O familiar foi morto em um acerto de contas e isso também pode motivar o assassino.

Lázaro Barbosa

Desde a última quarta-feira (9), o nome de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, veio à tona após uma chacina no Incra 9. Ao analisar a ficha criminal de Lázaro, vê-se outros crimes semelhantes. O primeiro delito do fugitivo ocorreu em 2007. Veja uma cronologia:

Em 2007, Lázaro foi preso em Barra do Mendes-BA acusado de duplo homicídio. Na ocasião, o criminoso perseguia uma mulher por quem havia se apaixonado. Dois homens tentaram ajudar a vítima e acabaram mortos.