Em transmissão ao vivo nesta sexta-feira (04), a vereadora Gabriela Rodart (DC) enfatizou a necessidade de fiscalização dos pais e responsáveis para coibir abusos cometidos contra crianças e adolescentes. A fala da parlamentar ocorreu durante uma live em seu perfil no Instagram com a participação da ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

 A conversa da parlamentar com a ministra ocorreu na esteira do projeto Maio Laranja, iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos que busca incentivar o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. A vereadora protocolizou um projeto em que solicita que o referido mês ingresse no calendário oficial do município, tendo o dia 18 de maio como o Dia Municipal de Combate aos abusos contra a infância.

 A atuação do Governo Federal para coibir o abuso e a exploração sexual contra crianças e adolescentes foi o tema principal da transmissão. A vereadora trouxe dados atualizados dos casos específicos de violência e abusos contra menores que ocorreram em 2020 nas rodovias federais em Goiás e enfatizou a preocupação com o dado.

 “A Polícia Rodoviária Federal apontou no início deste ano que Goiás é o segundo estado com maior número de pontos críticos de exploração sexual contra crianças e adolescentes nas rodovias federais. Esse dado me preocupa muito e é algo que precisamos atuar no sentido de reduzir esses números terríveis”, expressou a vereadora. A ministra enfatizou que operações policiais realizadas com coordenação e apoio do Ministério apreenderam centenas de abusadores que atuavam nas rodovias federais do país.

 Além dos casos em que a vítima é abusada pessoalmente, Damares ainda falou sobre os riscos da exposição de crianças à internet sem a devida supervisão dos pais. A ministra compartilhou situações que chegam ao conhecimento do Ministério, de redes internacionais de pornografia infantil.

“Muitas vezes o abusador está a milhares de quilômetros de distância e isso não o impede de molestar uma criança, seja através das redes sociais ou até mesmo dos chats em jogos online. Sem a supervisão dos pais e responsáveis, infelizmente, o ambiente para isso acontecer fica facilitado para os criminosos”, explicou.

A ministra falou ainda sobre o "Reconecte", um programa do Ministério que busca orientar famílias e comunidades sobre como lidar com casos suspeitos de abusos. De acordo com Damares, a pasta atende em três idiomas diferentes e recebe casos não só do Brasil, mas também de outros países.

O impedimento da realização de celebrações religiosas na pandemia também foi destaque na conversa. A vereadora lembrou dos muitos casos de abuso contra missas e cultos no país e criticou as ações do Estado contra a prática religiosa.

A ministra reforçou o trabalho das igrejas e lamentou os recorrentes impedimentos que vêm sofrendo por conta de decisões dos governos locais.

"A igreja é uma instituição essencial. Nem em guerra se impede uma igreja de atuar. Foi um grande erro (o fechamento). As igrejas não são irresponsáveis, elas obedeceram as regras de segurança, cuidaram do seu povo mas, infelizmente, houve um exagero no trato com a atuação religiosa no país”, lamentou a ministra.

Damares lembrou o WhatsApp de atendimento para famílias que precisem de atendimento junto ao ministério e reforçou que a Ouvidoria de Direitos Humanos está à inteira disposição. O telefone para contato é o (61)99656-5008.

 Da redação com informações informações no link: Link da live: https://www.instagram.com/tv/CPtRimSh01_/?utm_medium=copy_link