Cartaz eleitoral rodeado de vacas com o slogan em francês: "Duas vezes não às iniciativas fitossanitárias extremas", no município suíço de Ollon, em 19 de maio de 2021 - AFP/Arquivos.

Os suíços rejeitaram, neste domingo (13), as propostas para proibir os pesticidas sintéticos, enquanto aprovaram o fortalecimento à luta contra o terrorismo e uma lei sobre a covid-19, de acordo com as primeiras projeções de um refendo realizado hoje.

Essas primeiras tendências, confirmadas por pesquisas realizadas nas últimas semanas, foram estabelecidas pelo instituto gfs.bern para a televisão pública após o fechamento das seções eleitorais. Os resultados finais serão conhecidos à noite.

As duas iniciativas populares contra os pesticidas geraram discussões acaloradas entre os agricultores durante a campanha em um país que abriga um dos maiores fabricantes de produtos fitofarmacêuticos, o grupo Syngenta, que foi comprado em 2017 pela gigante chinesa ChemChina.

A primeira iniciativa, “Por uma Suíça sem pesticidas sintéticos”, previa a proibição desses produtos em um prazo de 10 anos, bem como a importação de alimentos produzidos no exterior com agrotóxicos sintéticos ou que os contenham.

Da redação com informações do site: https://istoe.com.br/suos-se-recusam-a-proibir-pesticidas-sintticos/